Mercado Livre Pagou 4,6 Bilhões em Impostos. Quanto Investiu na Cultura?

Mercado Livre já anunciou: investirá mais de R$ 23 bilhões no Brasil em 2024, maior valor já alocado pela companhia em seus 25 anos de história. Decisão foi impulsionada após mais um ano de resultados financeiros recordes, com operação brasileira avançando 35% em receita líquida.

Além disso, o aporte amplificará a presença de seu braço financeiro, o Mercado Pago, principalmente em relação aos usuários pessoa física, o que dará maior visibilidade à proposta de valor da marca.

“Os últimos anos têm sido de crescimento para o Mercado Pago, atingimos um marco de US$ 3 bilhões em faturamento no ano passado no Brasil. Mais importante que isso, vemos um aumento na retenção e recorrência dos nossos usuários e estamos vendo crescer a sinergia com o ecossistema do Mercado Livre. Seguimos aprimorando nosso portfólio para sermos a principal instituição de relacionamento dos nossos clientes”, afirmou André Chaves, vice-presidente sênior de Mercado Pago no Brasil.

Ao mesmo tempo em que cresce o volume investido no país, ano após ano, a geração de impostos arrecadados diretamente pela companhia superou a marca de R$ 4,6 bilhões pagos em impostos federais, estaduais e municipais em 2023. Este número é 31% superior ao volume pago em 2022, conforme anuncia.

CULTURA — Mas no que essa geração de impostos resultou em benefício diretamente para a sociedade, por meio de atuação da empresa em áreas de responsabilidade social?

Foi em busca dessa resposta que Valor Cultural foi verificar quanto foi investido pela companhia em ações ligadas a cultura ou socioculturais, aproveitando-se de incentivos fiscais oriundos dos impostos pagos durante os últimos anos.

Para compreender o perfil de projetos escolhidos por Mercado Livre, pesquisa em projetos patrocinados identificou que interesse principal está em ações restritas a: 1) planos anuais ou iniciativas de entidades que se dedicam a comunidades ou identitárias; 2) festivais, eventos de música e exposições que possuam afinidade com essa linha de atuação.

Com utilização da lei Rouanet, o salto de aplicação do Grupo em projetos culturais saltou de R$ 1,9 milhão em 2022 para R$ 9,6 milhões em 2023.

Se antes se valia dos impostos pagos por Mercado Livre, Mercado Envios, Ebeazar e Mercado Pago, somente essa última contribuiu para os patrocínios recentemente.

Museu das Favelas (Imagem de Carlos Pires)

Em 2023 foram 10 ações patrocinadas com perfis diferentes, entre elas os planos para a Bienal das Amazônias (R$ 1 milhão), Instituto Feira Preta (R$ 2,5 milhões), Museu das Favelas (R$ 1 milhão), festivais como o Social Good Brasil (R$ 200 mil), SPFW+ N58 (R$ 750 mil), Raízes, de música instrumental (R$ 1,2 milhão) e Cultural Xikrin (200 mil).

Houve ainda apoio à Programação Cultural da Conferência Nacional das Favelas (R$ 280 mil) e às exposições Coleção Oxenford (R$ 200 mil) e Expo Favelas (R$ 1 milhão).

Da agenda ESG, na área social, mostra interesse em projetos com foco em equidade de gênero, raça e na comunidade LGBTQIAP+.

Porém, seguindo tendência adotada pela maioria das empresas, as informações sobre o que faz com leis de incentivo são pontos obscuros tanto em site quanto em seu Relatório Anual.

Não há uma linha justificando o que fez com os R$ 9 milhões aplicados via renúncia fiscal.

Você está sabendo por que contamos.

SERVIÇO

Homepage: imagem EJBS, gerada por AI

LEIA TAMBÉM

Saiba Para Quem a B3 Abre a Bolsa Para Patrocinar Projetos Culturais (e Sociais)

Raia e Cultura. Conheça o Diagnóstico Que Fizemos Dessa Rede de Farmácias

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

São Paulo, 26 de março de 2024 – O Mercado Livre, empresa líder em tecnologia para o e-commerce e serviços financeiros da América Latina, anuncia o aporte de mais de R$ 23 bilhões no Brasil em 2024, maior valor já alocado pela companhia em seus 25 anos de história. Após mais um ano de resultados financeiros recordes, com a operação brasileira avançando 35% em receita líquida, a empresa seguirá ampliando a alocação de recursos em seu ecossistema para sustentar crescimento com rentabilidade, o que envolve a contratação de milhares de profissionais. Dentre as principais áreas impulsionadas estão as de tecnologia, logística, e-commerce e de banco digital, além das frentes de marketing e retail media. O montante previsto inclui alocação em bens de capital e uma parcela de suas despesas operacionais estratégicas associadas ao desenvolvimento das prioridades de negócios da companhia para os próximos anos.

 

Dentre os objetivos está o aprimoramento da infraestrutura, equipe e base operacional da logística do Mercado Livre no Brasil. Com isso, o número de cidades com entregas rápidas, no mesmo dia e no dia seguinte, deve crescer ainda mais, ampliando a experiência dos seus usuários. Além disso, o aporte vai amplificar a presença do Mercado Pago, principalmente em relação aos usuários pessoa física, o que dará maior visibilidade à proposta de valor da marca, que já trabalha em conexão com o ecossistema de negócios da companhia. As alavancas de marketing, que geram recorrência de compra e fidelização no marketplace, assim como a aceleração do Mercado Ads, seu negócio de publicidade digital, também estão dentre as prioridades.

 

O avanço histórico dos aportes do Mercado Livre no país, que rompeu a barreira do R$ 1 bilhão em 2018 e chega hoje a R$ 23 bilhões, indica o tamanho da nossa confiança no potencial de desenvolvimento do país, dos nossos colaboradores, da comunidade empreendedora e dos nossos parceiros. O Brasil representa cerca de 52% da receita líquida total do negócio na América Latina e, apesar do cenário desafiador e competitivo, seguimos confiantes em sustentar nosso protagonismo na América Latina como um dos principais players de tecnologia do mundo”, afirma Fernando Yunes, vice-presidente sênior de Commerce e líder do Mercado Livre no Brasil. “Com este aporte, indicamos também que estamos apenas no início da nossa jornada, com muitas oportunidades de aprimoramento em nossas operações e plataformas tecnológicas”, complementa o executivo.

 

Mercado Ads

Uma das prioridades do aporte anual é o negócio de publicidade digital do Mercado Livre, que melhora a performance dos anúncios no ecossistema. O número total de anunciantes via Mercado Ads chegou a quase 170 mil em 2023, após aumentar por sete trimestres consecutivos, o que ajudou a receita do negócio de publicidade digital a atingir 1,6% do volume total de vendas na América Latina.

 

Em sinergia com o Mercado Livre, o Mercado Pago é parte fundamental do ecossistema e concentra tudo em um único lugar, de cartões e pagamentos até seguros e investimentos. Segundo o vice-presidente sênior de Mercado Pago no Brasil, Andre Chaves, a empresa segue trabalhando para escalar soluções financeiras simples, práticas e seguras, consolidando-se como um dos maiores bancos digitais do país.

 

“Os últimos anos têm sido de crescimento para o Mercado Pago, atingimos um marco de US$ 3 bilhões em faturamento no ano passado no Brasil. Mais importante que isso, vemos um aumento na retenção e recorrência dos nossos usuários e estamos vendo crescer a sinergia com o ecossistema do Mercado Livre. Seguimos aprimorando nosso portfólio para sermos a principal instituição de relacionamento dos nossos clientes”, contextualiza Andre Chaves.

 

Mercado Pago, a empresa conta com os serviços do Mercado Ads, Mercado Envios, Mercado Livre VIS (Veículos, Imóveis e Serviços) e Mercado Shops.

Shopping cart close
Pular para o conteúdo